arte.com.pt   metodologias da produção artística

 

Entrada

Textos

Estudos

Pensamentos

Ensaios

Comunicações

Espaços

World Wide Web

Fazer + produzir

Áreas de investigação

Links

Contactos e colaborações

     

 

     
 
 

 

A Academia Nacional de Belas-Artes (1836), a Escola de Belas Artes de Lisboa (1911), a Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa (1950) e a Faculdade de Belas Artes integrada na Universidade de Lisboa (1992) são designações do tempo do corpo no qual reside o ensino artístico praticado em Lisboa, com muitos intervenientes, cada um deles disponibilizando investigações e saberes ?comunidade académica e, por conseguinte, ?sociedade em geral.

Cientes de que no ensino da produção de objectos enquadráveis no universo da Arte não existe um processo criativo único mas sim tantos processos, quantos os criadores, os tempos e os lugares, iniciamos uma catalogação de todos os nomes que ensinaram nesta Faculdade e, naturalmente, nas instituições anteriores onde se radicam as raízes desta.

O único critério que preside a esta lista ?somente o facto de se ter feito parte do corpo docente da Academia, das Escolas ou da Faculdade.

Qualquer exclusão ou hierarquização de nomes por avaliações subjectivas de qualidade ou de visibilidade social não faz parte do nosso posicionamento. Consideramos que a obra produzida, por cada um dos docentes destas instituições, ?um facto que prova a sabedoria partilhada na prática docente e que testemunha processos criativos próprios.

O julgamento do valor da obra e dos processos não far?parte deste espaço uma vez que a História, a Estética e a Filosofia se encarregarão de o fazer. Deste espaço apenas farão parte as constatações.

Os nossos propósitos são apenas tornar claro que a prática docente no âmbito do ensino artístico tem como base uma produção artística própria e possibilitar comparações e sistematizações de processos criativos.

Para isto cada um dos nomeados ter?aqui um espaço para amostragem do seu perfil como docente e como produtor de objectos enquadráveis no universo da Arte. Alguns destes nomes j?se encontram em ligação directa com as suas páginas oficias outros encontram-se em fase de construção.

MATRIZ DE SITE

 

 

Alberto Souza.

Alfredo Keil.

António Alberto Nunes (1900).

António Jos?Nunes Jr. (Desenho de Figura, 1882/83).

António Manuel da Fonseca (1836).

António Onofre Schiappa.

António Tomás da Fonseca (Ornamentos, 1871).

Benjamim Conte (1836).

Carlos Amado (Desenho, Museologia).

Carlos Reis (1900).

Carlos Reis (Pintura, 1900).

Clara Meneres (Escultura).

Columbano Bordalo Pinheiro.

Conceição Ferreira (Pintura).

Domingos Jos?da Silva (1836).

Francisco Assis Rodrigues (Director em 1836).

Francisco Cerqueira (1836).

Gil Teixeira Lopes (Pintura).

Henrique Lopes de Mendonça.

Hugo Ferrão (Pintura).

Isabel Sabino (Pintura).

Ilídio Salteiro (Pintura)

J. P. Sousa (Desenho Histórico, 1871).

J. Prieto (Desenho Histórico, 1871).

João Afra (Escultura).

João da Silva.

João Eloy de Mendonça (1836).

João Jacinto (Desenho).

João Pires da Fonte (1836).

João Paulo Queiroz Desenho).

Joaquim Rafael (1836).

Jorge Pinheiro (Pintura).

Jorge Vieira (Escultura).

Jos?António Gaspar (1900).

Jos?António Serrano (1900).

Jos?Armando Pedroso Sousa da Silva (1900).

Jos?Luís de Almeida Jr. (1900).

Jos?Luís Monteiro (1900).

Jos?Simões de Almeida Jr. (Desenho de Figura, 1882/83).

Justino Alves (Pintura).

Lagoa Henriques (Escultura).

Lima Carvalho (Pintura).

Luciano Freire (1900).

Luís Filipe de Abreu (Pintura).

Luísa Arruda (Desenho).

Manuel Botelho (Pintura).

Manuel Sam Payo (Pintura).

Maria João Gamito (Desenho e Multimédia).

Marília Viegas (Gravura, Desenho, Pintura).

Matilde Marçal (Pintura).

Matos Simões (Desenho).

Máximo Paulino dos Reis (1836).

Miguel Ângelo Lupi (Modelo Vivo, 1871).

Miguel Arruda (Escultura e Arquitectura).

Nelson Dias (Desenho).

Nicolau Possolo (1836).

Pedro Saraiva (Desenho).

Pietro António Fernandes (1836).

Rocha de Sousa(Pintura).

Rogério Ribeiro (Pintura).

Roque Gameiro.

Rui Serra

Silva Porto.

Simões de Almeida.

Sousa Viterbo (1900).

Teixeira Lopes.

Tomás da Anunciação (Modelo Vivo, 1871).

Varela Aldemira (Pintura).

Veloso Salgado (1900).

Vítor Bastos (Modelo Vivo e Classe do Antigo, 1871).

 

 

 

 

Rehaut block Rolex engraves its name and the hublot replica consecutive bulk of the watch at six clock below the crystal, on the dial. Lots of replica Rolexes acquire this too now, but if you appraise them carefully you will see it is just printed on the swiss replica watches rehaut and is not an absolute engraving. They may aswell be missing the that consistently alpha the Rolex serials. New clasps for some curve The Daytonas and replica Rolex DateJusts affection a abbreviate brooch compared to the replica watches earlier models. You can absolutely see an acute archetype of this on the Turn-o-graph. Lots of replicas use the old continued clasp, but it is not simple to notice. What you should do is assert on seeing shots of the accomplished watch from abounding angles afore affairs. Band end-links block The archetypal bulk can now be apparent as an block on the end-links of abounding new Rolexes. It aswell tells the archetypal of fake rolex watches the band and has two little Rolex crowns. Unfortunately, this has flawlessly been replicated on a lot of new Rolex replicas.

?arte.com.pt, 2008